02/07/2009

Vieira merece Carvalho.

Está instalado o caos nas eleições do Benfica.


Quando Vieira tomou a decisão unilateral de antecipar a realização das eleições, através da demissão em bloco dos órgãos sociais do clube, estaria longe de imaginar que esta bomba lhe iria rebentar nas mãos algumas semanas depois.
Segundo entendi, o Tribunal Cível de Lisboa decidiu suspender a candidatura da lista A, encabeçada por Vieira. Ora, esta decisão não determina que este violou, de facto, os estatutos do Sport Lisboa e Benfica; limita-se a suspender a sua candidatura até análise definitiva. O problema surge nos prazos para contestação, visto que o escrutínio está marcado para esta sexta-feira.

Trata-se claramente de mais uma manobra de bastidor naquelas que foram, sem dúvida alguma, as eleições menos dignificantes da história do clube. Parece-me óbvio que a única intenção de Bruno Carvalho é afastar Vieira das eleições de sexta-feira, jogando com os prazos em que interpôs a sua acção. Carvalho conhece os tempos de resposta dos tribunais e sabia que restaria pouquíssimo tempo ao seu oponente para contestar a sua acção. Trata-se, efectivamente, de um golpe baixíssimo e que revela o nível deste candidato.

Contudo, é preciso não esquecer a origem de toda esta confusão. Os benfiquistas têm de ter em mente que foi o próprio Vieira a abrir esta janela de oportunidade; foi Vieira que iniciou as hostilidades com uma “chico-espertice” para afastar um movimento oposicionista bem mais forte e credível que Bruno Carvalho. Foi Vilarinho que, em directo na TVI24, assumiu perante as câmaras que a convocação de eleições antecipadas se tinha tratado de “uma estratégia do Presidente”. Por tudo isto, não tenho dúvidas ao afirmar que o principal responsável pela situação actual é o próprio Luís Filipe Vieira.

Por outro lado, esta situação foi o melhor que poderia ter acontecido ao Presidente demissionário. Depois do afastamento do Movimento BVV, muitos benfiquistas, nos quais eu me incluo, manifestaram a sua intenção de votar em branco. Estes acreditam que nenhum dos candidatos tem nível para representar o Benfica ao mais alto nível. Agora, com toda esta confusão, Vieira está a jogar no seu território preferido: o de vítima. O ex-Presidente adora colocar-se neste papel e de proferir insultos e referências animalescas a todos os que a ele se opõem. Assim, muitos dos que tinham intenções de votar em branco manifestam agora a intenção de votar Vieira, “pelo Benfica”. Entretanto, já todos lemos e vimos que “ele”, não vai permitir que o Benfica seja tomado de assalto por um qualquer “garoto”; “ele” não deixa, não permite e não o admite. Afinal de contas, o Benfica continua a ser o seu domínio, tal como o estádio e o centro de estágio, dos quais é pai, mãe e filho único.

É bastante provável que amanhã suceda mais um resultado iraquiano nas eleições. Infelizmente, a estratégia da confusão, chico-espertice e populismo continua a dar frutos. Vieira venceu, mas o Benfica perdeu mais um pouco da sua identidade e orgulho.

3 Comentários:

Anónimo disse...

Muito bem!

jorgeserra disse...

muito mal

Nuno Picado disse...

Entendam-se :P

Enviar um comentário

A probabilidade de um comentário ser apagado é directamente proporcional à estupidez contida no mesmo.