04/08/2015

Época 2015/2016 - Ano Zer0, ou talvez não. ( Parte III )

Pré-época ( pós-jogos ) - Continuação


Conclusões e espectativas 

Concluo este artigo reforçando a minha ideia inicial, que dificilmente esta pré-época poderia ter sido melhor preparada, à excepção deste ultimo jogo, da gestão das expectativas dos adeptos e da tardia chegada de , pelo menos 2, jogadores que sejam reforços para o lado esquerdo da defesa e para o ataque. Dito assim, não parece pouco!!
Concordei com a ideia de disputar este prestigiado torneio, pois não se pode dizer não a 3.5 Milhões de Euros Limpos ( e despesas pagas) e à oportunidade de jogar perto de uma massa adepta que precisa de ver o seu Benfiquismo alimentado. 
A dimensão deste torneio é proporcional à visibilidade que um clube mundial, como o Sport Lisboa e Benfica, precisa. Isso, só por si, é muito importante.
Por outro lado, a distância dos jornaleiros portugueses, mortinhos por nos verem cair, assegurava uma tranquilidade que a equipa e o seu corpo técnico necessitavam.

A equipa respondeu a espaços e apesar dos resultados não serem os melhores, houve muitas coisas positivas:
A ideia que o Nelson Semedo pode estar mais preparado do que inicialmente  pensava;
O regresso de Fejsa;
A confirmação de Samaris;
As “ganas” de Jonathan R.

 Mas, acima de tudo fiquei com a clara ideia de onde estão os problemas:
Um defesa esquerdo com classe suficiente para vestir o Manto Sagrado;
Um verdadeiro Extremo ( embora aqui deixe o beneficio da dúvida ao Carcela;
Um Ponta de Lança capaz de marcar golos, com experiencia e capaz de despertar o melhor Jonas;
A estabilização do sistema táctico, rotinas e dinâmicas, ou neste caso a falta delas.

Este jogo em Monterrey passou-me a ideia que a supertaça tem menos importância que um jogo com o clube local e isso, para mim, é inconcebível. Depois do jogo no Azteca, só tínhamos de ter feito as malas e ter voltado para Lisboa.
Assim, o jogo da Eusébio Cup seria em Lisboa, junto dos seus adeptos, permitindo não só a recuperação total da equipa (porque Jet Lag de 6 horas ainda faz moça), mas também a preparação, com o tempo necessário, para o jogo contra um dos nossos rivais. Por outro lado aproximava a equipa dos adeptos criando aquela força que só nós sabemos dar.

A verdade é que Rui Vitória herdou um “presente envenenado”. Não é uma tarefa fácil agarrar uma equipa Bicampeã, com rotinas de  6 épocas e que vê sair 3 (ou 4) dos seus valores mais antigos e importantes, mesmo que um deles  seja por lesão.
Acredito no Rui Vitória mas também acredito que o Benfica poderia ter-lhe facilitado a vida…mas agora, para mim, é fácil falar.
Os Homens encontram-se nas dificuldades e são aqueles que não viram a cara á luta que conquistam os grandes feitos. Acredito que com mais ou menos dificuldades, no final da época estaremos a festejar novamente.
É também aqui, que todos os adeptos e sócios têm uma palavra a dizer, pois todos nos querem ver cair. Estarão todos à espera para nos cair cima qual abutres  e vai ser aqui que iremos fazer a diferença.
A equipa e principalmente o treinador não têm culpa de tudo o que se passou, portanto teremos de ser nós a carrega-los no nosso FAMOSO #COLINHO

Não sei se este será ou não o Ano Zer0, mas  pessoalmente preferia que não fosse, nem vejo motivos para o ser. Temos a casa arrumada, quer se goste ou não, conquistámos as melhores bases para fazer o melhor e isso não pode mudar com a mudança de um treinador ou de um "modelo de negócio".
Não tenho dúvidas nenhumas que o inicio desta nova época coincide com  o iniciar de um novo ciclo e só resta saber o que este nos trará!

Saudações Benfiquistas e até breve…
já com mais uma Supertaça, espero!!

0 Comentários:

Publicar um comentário

A probabilidade de um comentário ser apagado é directamente proporcional à estupidez contida no mesmo.