07/04/2009

Benfica. 1904-(?)


Os factos.
Desde 1990 até à presente época o Benfica venceu 3 Campeonatos Nacionais, 3 Taças de Portugal, 1 Supertaça Cândido de Oliveira e 1 Taça da Liga. Isto quer dizer que em 19 anos o Benfica venceu 8 títulos nacionais, o que dá uma média de 0.42 por ano.
Confesso que a frieza dos números me choca e imagino que nenhum benfiquista deve ficar indiferente a tal descalabro, mas de uma coisa não podemos fugir: com ou sem “Apito Dourado”, o Benfica tem sido inequivocamente mal dirigido.


Os jogadores.
Olhando para os jogadores que compõem o plantel deste ano, desde logo verificamos vários erros de casting. Não vou discutir o talento individual de cada atleta, mas sim a sua atitude perante o jogo. Aimar, Reyes, Cardozo, Suazo, Yebda e Balboa não servem para o Benfica e representam o oposto exacto do modelo de jogador que o clube deve considerar quando se lança no mercado. O Benfica precisa de jovens determinados, identificados com o clube e com uma sede enorme de vitórias. Jovens como Sidnei, Miguel Vítor, Maxi Pereira e…Cristian Rodriguez. Nenhum dos jogadores que citei acima encaixa neste perfil.


O treinador.
Por muito desenvolto que “Quique” Flores seja na arte do paleio, não conseguiu mobilizar e organizar minimamente a equipa ao seu dispor. Perante um plantel amorfo como este seria necessário um homem com punho de ferro para controlar o balneário. Isto não acontece… bem pelo contrário!
“Quique” Flores é ainda cobarde e teimoso. Cobarde por não tratar todos os jogadores da mesma forma e teimoso por insistir na mesma táctica suicida desde o inicio do campeonato. Para completar o ramalhete, não conhece minimamente a história e ambição do clube que representa. Está, claramente, a cavar a sua própria sepultura.


Os adeptos.
Os grandes culpados do estado a que chegou o seu clube. Elegemos homens como Damásio, Vale e Azevedo e demos 97% dos votos a Luís Filipe Vieira. Pactuamos com toda esta mediocridade sem reagir e ainda aplaudimos, como que a pedir por mais.
Os benfiquistas têm uma tendência peculiar para escolher sempre a pessoa errada para presidente do seu clube. Basta que nos acenem com chavões populistas e promessas vãs de glória infinita que a vitória é certa. Homens sérios como Luís Tadeu ou Bagão Felix nunca terão hipóteses perante tal tribunal.


O clube.
O Benfica é hoje um clube claramente dividido entre Vieiristas e opositores. Sinceramente, ainda não consegui perceber de que lado está a maioria - apesar de ter uma boa ideia perante a história recente das assembleias do clube. A “velha guarda” benfiquista parece estar sempre ao lado do seu Presidente, seja ele quem for.
As modalidades “amadoras” do clube vão salvando a honra do convento e têm dado algumas alegrias nos últimos anos. Curiosamente, nota-se perfeitamente que existe um certo distanciamento entre os adeptos e as várias equipas que nos representam - excepção para o futsal. Não deixa de ser irónico que aqueles que mais merecem o nosso apoio… são os que menos o recebem.


Em Outubro teremos eleições. Estas representam, na minha opinião, o momento mais importante da história recente do Benfica. Teremos então a oportunidade de demonstrar que queremos uma mudança de rumo; que chega de promessas vazias de vitórias; que queremos o Glorioso, Sport Lisboa e Benfica, de volta; que queremos mais trabalho e menos palavras. No fundo, que o Benfica é muito maior do que qualquer pessoa ou cargo.


2 Comentários:

Anónimo disse...

Nuno que idade tens pá?
Tinha um colega chamado Picado que vivia na Cova da Piedade, és tu?

Bunbury disse...

Curiosamente conheci bastantes Picados que não eram familiares :)
Nunca vivi na Cova da Piedade, por isso dificilmente serei aquele que pensas.

Cumprimentos

Enviar um comentário

A probabilidade de um comentário ser apagado é directamente proporcional à estupidez contida no mesmo.